Execução da obra de loja em shopping: alegria ou tristeza?



Descrição dos fatos


Essa semana aconteceu um fato que me deixou bem intrigada e porque não dizer perplexa.


Fui convidada há 3 semanas atrás à apresentar orçamento para execução de obra para uma loja de uma conceituada rede de franquias, localizada em importante Shopping Center na área central de São Paulo.


Já havia realizado anteriormente obras dessa marca a contento e me senti honrada quando o diretor de expansão da franquia fez questão de apresentar pessoalmente todas as suas necessidades e prazos. Isso posto, recebi um email com todos os projetos arquitetônicos, e o descritivo documentando detalhadamente toda a nossa conversa.


Obra complexa, com muitas dificuldades, com prazo e orçamentos muito apertados.


Recebi os dados principais para o orçamento, mas faltavam os projetos complementares, essenciais e fundamentais para o correto orçamento. Sem eles admite-se uma grande variação de materiais de diferentes marcas e diferentes quantidades resultando em orçamentos diferentes entre os concorrentes.


Se o projeto elétrico não apresenta detalhe completo da rede elétrica é preciso estimar. Se o projeto de incêndio não apresenta detalhes também é preciso estimar o número de chuveiros automáticos e assim por diante. O mesmo vale para o ar condicionado, a serralheria, a detecção de fumaça. E é ai que mora o perigo. Cada um estima como quer e as diferenças não aparecem. E no final a comparação de valores não será de igual para igual.


Sobre os orçamentos


Dessa forma, soube que receberam 6 diferentes orçamentos com valores totalmente dispares, dificultando a comparação e seleção da empresa construtora. Do menor ao maior orçamento a diferença foi de mais de 150%.


Comunicada que não havia sido selecionada, soube que escolha foi por menor preço e o vencedor apresentou um valor de dificílima competição.


É certo que economia, qualidade pontualidade precisam fazer parte de toda e qualquer empresa ética e séria, admitindo-se que as empresas selecionadas para apresentar orçamento estavam no mesmo patamar de qualidade e idoneidade.


Então a que atribuir tamanhas diferenças? De minha parte posso dizer que a falta de projetos complementares permite uma variação enorme, a partir do momento em que os valores apresentados são calculados por metro quadrado de obra. Diz-se que para obras a preço fechado qualquer tostão não previsto vale milhão.


Considerando a estrutura do franqueador entendo que tenha havido comparação entre itens atendendo as exigências do projeto e dos shoppings, pois cada um tem exigências especificas.


O lado do franqueado


No caso do franqueado: será que ele tem esse conhecimento? Será que sabe o que priorizar? Quem o está apoiando nessa decisão? Quem está analisando as propostas e vendo se estão de acordo com o exigido em projeto? Franqueado sabe ler projeto? O que mais escuto é não entendo nada disso.


Se não entende como pode contratar? Como pode cobrar o que foi contratado?


As franquias em geral acompanham o franqueado em várias áreas, mas deixam que a escolha da empresa construtora seja livre. Essa falta de envolvimento das empresas nessa etapa do processo em geral levam o franqueado a prejuízos não previstos, não calculados no custo do negócio.


Salvo raras exceções a escolha da empresa construtora recai no preço e não no valor intangível da empresa.


Inevitável serão os valores extras que consumirão o capital de giro do negócio ou talvez mais. Dessa forma muitos são os franqueados que começam a operação desgastado, decepcionado e desmotivado.


São 3 Ds que fazem a diferença do sucesso ou fracasso do negócio.


Eliane Adesse

Architect Partner

© 2020 por Grupo Latino Americano de Franquias

  • YouTube
  • Instagram - White Circle
logo-abf-280.png