7 dicas para traçar um plano de ação que pode fazer a diferença no seu negócio diante da quarentena



Por Adriana Camargo*


Em tempos de quarentena, muitas teorias são lançadas e o empresário mal consegue dar conta de parar para estruturar ações concretas para seu negócio. São inúmeras lives, cursos online, opiniões para ouvir, reuniões virtuais... Ufa, por onde começar?


Eu o aconselho a criar um plano de ação, prático, que realmente possa ser efetivado. Desenvolvi uma estrutura em sete tópicos, baseados nas orientações do Boston Consulting Group, que talvez possam ajudá-lo a organizar suas ideias e seu plano de ação. Ele é indicado para varejistas e prestadoras de serviços e pode ser adequado tanto a franqueadoras quanto a quem opera por franquia ou redes próprias. Vamos à prática:


1. Antes de iniciar, faça as seguintes perguntas para traçar seu plano de ação: Qual o provável término do isolamento social? O que vem a seguir, para os próximos meses? Como será a curva de retomada para cada segmento e setor varejista/do franchising? Com quais consequências? E com quais oportunidades para minha empresa/franqueadora?


2. Compreenda as mudanças sociais mais amplas, além do que sua empresa necessita hoje, busque informações referentes a quais mudanças são observadas no comportamento e no consumo e quais mudanças podem durar.


3. Identifique as fraquezas de sua empresa/franqueadora, reveladas na crise, pois elas expõem suas necessidades de maior preparação, resiliência e agilidade. Busque identificar estas fraquezas em diferentes áreas de sua empresa e suporte à cadeia (ou ao franqueado), elas poderão ajudar sua equipe a encontrar oportunidades. Analise sua matriz SWOT novamente. Não tem uma matriz SWOT? Está na hora de providenciá-la!


4. Estude as regiões mais adiante na crise. China e Coréia estão muitas semanas à frente dos países ocidentais em suas experiências de crise e recuperação. Assim, você poderá prever melhor quais mudanças provavelmente ocorrerão ou poderão ser moldadas, de acordo com o seu negócio.


5. Durante a execução de seu plano de ação, faça questionamentos constantemente: Quem são os tipos de consumidores ou empresas que divergem da maioria? Essas apostas estão ganhando força? O que minha franqueadora está perdendo? A partir destas respostas constantes, você poderá decidir sobre cada oportunidade ou ameaça e: ignorar, investigar mais, criar uma outra opção para reproduzir, replicar ou agir com alta prioridade.


6. Procure organizar a implementação de seu plano de ação, com seus processos e expansão, para o período pós crise. Assim, você terá tempo para aprimorar suas rotinas, checar seus procedimentos e replicar melhor ainda sua operação.


7. Mantenha a esperança e uma orientação para o crescimento. É quase inevitável que enfrentemos uma recessão, e justamente aí está a razão para não adiar a inovação e o investimento. Cerca de 14% das empresas cresceram seus principais resultados durante as recentes crises econômicas e criaram valor por meio de crescimento com diferencial. Busque inovar em torno de novas oportunidades e reinvestir nos pilares de crescimento, assim sua marca estará capturando oportunidades em adversidades e moldando o futuro pós-crise.


Vale lembrar que nem tudo conseguimos fazer sozinhos. Mesmo na crise, precisamos contar com especialistas, porque o investimento em profissionais qualificados é necessário para a tomada de decisões certeira. É o tipo de investimento que se faz mais necessário, porque gera economia em escala, potencializa investimentos e dá segurança.

*Adriana Camargo, Ph.D., é Diretora de Negócios no Grupo Latino Americano de Franquias.

© 2020 por Grupo Latino Americano de Franquias

  • YouTube
  • Instagram - White Circle
logo-abf-280.png